13.3.10

No largo parece estar concluída a sua recuperação e transformação paisagística. A sua tranformação, foi profunda e com algum gosto, sem contudo se notar a ausência de temas alusivos á história do Tramagal .


6 comentários:

AV disse...

Falta uma coisa caro amigo,a iluminação tema abordado em assembleia de freguesia que ao que me parece caiu em saco roto,resta a todos os utilizadores aproveitarem ao máximo a iluminação publica existente.

Lamacheira e Barca disse...

Falta também um pouco de verde, fora isso está impecavel.

Abílio Pombinho disse...

Também fez falta que este projecto tenha sido apresentado aos tramagalensescom tempo suficiente de modo a apresentar eventuais alterações mas, tal como o projecto de requalificação do Largo dos Combatentes, em qualquer dos casos aparecem como factos consumado. Por isso lamento que assim seja, até p+orque em nosa casa quem deve mandar somos nós. E digo tudo isto porque era uma oportunidade de ouro para se estabelecer um estudo com vista a regular o trânsito de modo mais seguro, porque, todos estarão de acordo, que nos actuais moldes a segurança está mesmo em causa. Do meu ponto de vista, além os referidos pelos outros comentadores, esta é também uma pecha muito grave.
E...dote que não vai com a noiva, tarde ou nunca aparece...

Lamacheira e Barca disse...

Ao que parece (confirmado com o presidente da junta) o estacionamento do lado do jardim vai ser proibido, originando maior segurança.

Atalaia disse...

Além da iluminação,falta muita coisinha por lá...Não só espaço verde porque isso só pode existir nos quintais espaçósos dos habitantes porque não podem construir e teem de se entreter com alguma coisa.Falta também ser baptizado...Ou já está?...Já agora não lhe ponham algum nome que nada diz aos Tramagalenses.Tá?...Sobre o estacionamento ir ser proíbido do lado do jardim concordo.Mas então vai para onde? Expropriam algum espaço, ou os residentes da zona teem que levar com os automóveis a taparem-lhe a porta de acesso às suas residências?... Àh bom,vão para cima dos passeios, e os peões vão para a estrada.

João Baptista Pico disse...

Desculpem lá mas hoje tenho que intervir nesta suposta requalificação, que deixa muito a desejar ( substitui-se o verde pelo betão coberto de mosaico, colocaram-se bancos do lado sul das árvores, o que diminuirá a sombra para quem neles se sentar...)e falando na proibição do estacionamento do lado do jardim mais faz temer que o estacionamento se faça a congestionar o Convívio nos estreitos passeios onde se implantam as esplanadas de salvo erro três pequenos cafés muito bem frequentados como me foi dado observar várias vezes ao dia, neste último ano de 2008 e 2009.
Aqui está, respondendo ao interessante apelo do TZ sobre as origens da Vila Convívio como nesta suposta requalificação se fez tábua rasa dessa matriz única.
o Convívio das esplanadas dos cafés foi ignorado. Havia quanto a isso outras coisas a fazer. O Abílio Pombinho que comigo esteve no local várias vezes sabe o que ambos tínhamos em mente.
Os passeios do lado dos 3 cafés teriam que crescer na direcção do jardim, para fazer vincar a importância das esplanadas no aglutinar do convívio que ali tinha lugar com várias pessoas sentadas a conversarem à porta dos cafés. Essa vivência era fundamental estimar e incentivar, por variadíssimas razões.
Por outro lado o trânsito que sobe e desce para a Lamacheira e Barca poderia circular em dois sentidos no topo norte junto a uns degraus e uma casa velha de pedra, se não estou em erro. Isso fazia quebrar o movimento do trânsito superior ou mesmo anulá-lo por completo e então todo esse patamar cimeiro era um largo para convívio e os carros passavam pela parte de baixo do murete com bancos de namoradeiras e subiam e desciam no topo norte.
Ah, e com todo aquele betão esqueceram-se do verde. Parece betão e mosaico a mais e frescura a menos...
Panorâmica nem vê-la pois as costas dos bancos até a contrariam, da forma como estão posicionadas...
Desculpem a intromissão, mas sempre perdi por lá umas horas a pensar no Tramagal. Acho justo que respeitem esse meu esforço.