29.3.10

Dúvidas
Alguém me sabe esclarecer porque razão a Câmara implicou com esta casa...











... e com esta não houve problemas?

8 comentários:

TZ disse...

Junta lá alguma informação para se poder perceber que tipo de "implicação" houve.
Eu gosto mais da casa de baixo, nem me parece de qualidade arquitectónica comparável à de cima. No entanto, excepcionando zonas com alguma classificação que condicione a tipologia dos edifícios, sou bastante liberal e acho que cada um tem o direito de fazer as casas ao seu gosto.
A ambas invejo a posição e as vistas que de algumas das suas janelas devem alcançar...

Lamacheira e Barca disse...

A situação é a seguinte;
No primeiro caso, a câmara insurgiu-se contra o proprietário por causa das cores da moradia, que estavam desadequadas na perspectiva da vila.
No segundo, demonstra-se uma moradia de linhas modernas, sem telhados, e que ao que parece faz parte do grupo de habitações normais para a nossa vila.
Por outro lado, existe ainda uma outra situação, em que um morador da vila, foi como que “convidado” a mudar de freguesia e concelho para construir a casa de desejava, uma casa de madeira, (que para quem não sabe é proibido construir até na urbanização do campo de jogos).
Questão: O segundo exemplo foi permitido porquê? Espero que o motivo não se prenda com a “posição” social do proprietário.

Muad'Dib disse...

Onde fica a segunda?

João Baptista Pico disse...

Eu explicava alguns pontos de vista, mas ainda não obtive autorização.
E nem percebi se a "casa branca" traz alguma identidade associada com os EUA...
E como sou sportinguita poderia ser suspeito no verde da outra.
Sea verde, em vez de estar em frente se estivesse ao lado da bomba de gasolina ganhava no enquadramento, no dia em que a bomba passasse para a BP, mais do que para a GALP.

em tramagal disse...

É por estas e por outras que o Tramagal, continua a marcar passo, perante as outras freguesias do conçelho! Só sabem criticar o Tramagal!
Será que algum dos comentadores já se fez passear por este conçelho para ver o que se passa nas outras freguesias a nivel de construção privada, e não só? Será que a CMA só implica com as gentes do Tramagal?
Quanto ás casas de madeira, será que é mesmo proibido no conçelho?
Porque existem então junto á albufeira do castelo de bode?
Não estou aqui a defender a CMA!
Apenas a comentar o implicanso de algumas personagens perante a vila do Tramagal! Pois parece que aqui tudo esta mal feito! Querem ver que o Tramagal devia estar do lado norte, e sei lá as Mouriscas do lado Sul! AGUENTA TRAMAGAL...

João Baptista Pico disse...

Patinho feio?!
Por acaso eu sempre critiquei os bungalows. Escrevi muito nos jornais locais contra isso e até há um amigo meu que diante do Pina da Costa terá dito com imensa piada que eu apludi, para que queria a gente aquelas carruagens do TGV ali na Praia Fluvial?!
Será que o "em tramagal" só sabe jogar o pingue pongue?!
Será que só admite e vê, que toda a crítica é uma competição em que o que conta ou está implícito é a de que a minha terra é melhor do que a tua?!
Deixe-se desses complexos.
Aquela casa verde ou a casa branca são sempre daquela cor e com aquele mau gosto, em todo o lado. Melhor ou pior não tem a ver com a terra. Não vá, por esse campeonato.
Releve, homem, releve.

Lamacheira e Barca disse...

Para mim o que está mal é um morador e contribuinte, não poder ser dono dos seus sonhos de construir a morada de que gosta.

- E o enquadramento arquitectónico?
Tudo bem deve de ser respeitado, mas então deve de ser sempre respeitado, e por todos.

O que tentei reportar, foi o facto de a casa branca poder ter sido construída no seio de um bairro típico (Rua do Caldeirão) quando nada tem a ver com as habitações da vila (que me lembre é a única de linhas direitas, e sem telhados), e uma simples construção de madeira, que quanto a mim até nem difere tanto a linha de construção normal só os materiais aplicados, não pode ser levada á vante permitindo a saída da freguesia e do concelho de mais um natural.
Defendo que o ruralismo e a identidade devem de ser mantidas, mas devemos de criar hipótese a quem difere destes ideais de se poder integrar na nossa sociedade. Não estamos assim tão abastados populacionalmente, que permitamos a saída de naturais. Não era essa uma das bandeiras de campanha de todas as forças politica? Suster a saída dos naturais e cativar outros de diferentes concelhos?
Antevejo mais algumas saídas dentro do seio das minhas amizades, um deles quer construir uma casa com paredes em vidro, certamente vai ter de o construir em outro lado, que não aqui.
A construção moderna cativa novos adeptos em todas as sociedades e à que auxilia-los na implantação da nossa sociedade local para que mais escolas não fechem quando outras em concelhos vizinhos proliferam.

D´Atalaia disse...

Qualquer dos comentários, são pertinentes e com alguma crítica bem humurada,mas não metam gasolineiras no assunto, porque isso é coisa muito cára e que vai subcarregar todos os comentários.Quanto a mim penso:Se todos gostar-mos da mesma côr o que é que seria das outras côres?...E estas Cidades,Vilas e Aldeias só com uma côr?...E com o mesmo estilo arquictetónico?...àhàhàh...Isso é que seria engraçado!!! Bem deixamo-nos disso e vamos ao que mais interessa.O Tramagal,sofre neste momento da particularidade de, no que diz respeito à construção de habitação própria,lhe ser imposto uma quantidade enorme de regras para essa finanidade,e quando se colocou neste Blog a situação do ultrapassado PDM e a assinatura da nova trapasseira que está aí para aparecer,ninguém mas mesmo ninguém se quiz interessar,e agora surgem côres,estilos arquictetónicos se são de madeira etc, etc.Pegunto:Será que nos fica bem falar-mos destas situações isoladas,e da qual não tiramos nenhum proveito,nem os seus proprietários pois eles estão nas suas casas descansadinhos e a viver como tanto ambicionaram e gostam? Deixem as pessoas em paz,e descuta-se o que interessa à comunidade!!!Que se fale do novo PDM "EXTUPÔR" duma aberração enorme,que só afecta o interessse e o desenvolvimento das populações.PDM sim mas com finalidade p´ró desenvolvimento e fxação populacional e não como nos querem impôr.