14.2.10


Para tratar de algum assumto neste local, tenho de 1º perfazer (nove kilometros) fazer e desfazer (trinta e sete curvas em seis Kilometros) demorar cerca de 1/2 hora, se apanhar um camião carregado de areia da Carregueira, e se apanhar o transito congestionado no Rossio ao Sul do Tejo, arrisco-me a não tratar de nada... ISTO PODENDO O PERCURSO SER REDUZIDO A TRÊS KILÓMETROS COM UMA NOVA PONTE.

23 comentários:

João Baptista Pico disse...

Se se levantasse da cama uma hora mais cedo, já lhe sobrava meia hora para perder nesse edifício...
Quer justicar com a sua "preguiça" um gasto de 17 milhões de euros numa ponte?!

Atalaia disse...

POSSO NÃO CONCORDAR COM NENHUMA DAS PALAVRAS QUE VOÇÊ DISSER,MAS DEFENDEREI ATÉ À MORTE,O DIREITO DE VOÇÊ DIZÊ-LAS.

DE VOLTAIRE

João Baptista Pico disse...

E eu bem aviso: se puder acordar uma hora antes, sempre irei colher mais frutos desse seu empenho que muito agradeço...

De João Pico, ao seu dispôr

pedro oliveira disse...

Caro Pico,

A pior preguiça é a preguiça mental.
Uma preguiça que impede pessoas, com uma inteligência média, o senhor não é nenhum génio mas, também, não é, completamente, burro.
Atirar com 17 milhões «versus» preguiça é duma desonestidade intelectual que me recuso a qualificar.
Os submarinos que o seu querido líder obrigou a república portuguesa a adquirir dariam para construir quantas pontes?

João Baptista Pico disse...

O comentador das 16:30 tem muita facilidade em falar de desonestidade intelectual: pratica-a como ninguém.
Que tenho eu a ver com os submarinos?
E já agora quando defende a monarquia, por acaso nunca lhe ocorreu pensar no iate D. Amélia do Senhor D. Carlos, pese as explorações científicas que dele emanaram para a oceanografia?
Com as deviads proporções os gastos de uns estão para os gastos de outro.
Todavia, há duas coisas que a sua desonestidade intelectual reincidente agrava consideravelmente:
1ª - A compra dos submarinos já vem de Guterres, tendo o governo Barroso apenas prosseguido com o negócio, concluído já no tempo de Santana Lopes; o ministro da Defesa era Paulo Portas;
2ª - é lamentável que a defesa das nossas 200 milhas marítimas neste espaço estratégico e único, das rotas das Amérias, Norte da Europa, Norte de África e Mediterrâneo não pudessem ser sustentadas por um único submarino;
por muito caros que fossem, não seria fácil a um ministro tomar sobre os seus ombros o ónus da sua dispensa; o resto é demagogia barata;
E se falássemos do que interessa não seria intelectualmente mais honesto?

Lamacheira e Barca disse...

Caro amigo pico das duas uma ou sofre de alzaimer ou então muda de opinião como de roupa (espero eu).`
É que já por aqui o vi a defender a construção da ponte, (e quando digo aqui, é no blog e na vila de tramagal), mas os seus comentários atrás demonstram o contrário... afinal no que é que ficamos ??
PS : Só é pena o tejo não ser navegável nem para barcos, senão dava jeito ter um submarino por aqui a defender-nos dos ataques que vêm do outro lado do rio.

João Baptista Pico disse...

Rogo ao Lamacheira e Barca (por boa educação da minha parte escrevi as iniciais com maiúsculas...)que leia com cuidado e mais atenção o que escrevi.
E então, logo reparará na sua distracção ou apressada crítica de quem não consegue esconder um apetite para se atirar àquele que parece incomodar muitos, porque tem resposta para tudo...
Ninguém de bom senso pode aceitar a argumentação invocada pelo Atalaia.
Ele queixou-se que perdia meia hora nas curvas e podia chegar atrasado à Câmara. O que desvalorizava qualquer argumento à partida. Chegar mais cedo ou mais tarde à Câmara ou ao Provedor não parece constituir grande prejuízo e a haverseria meramente uma questão pessoal.
Primeiro, as respostas que possam sair da Cãmara não são assim tão rápidas e assertivas, que possam gerar um prejuízo a alguém que chegue atrasado num dia, idem com o Provedor que até só vem duas tardes por semana. Segundo, do modo como o Atalaia escreveu provou que já sabia de antemão a demora que a estrada com as 37 curvas lhe reservava´.
Daí, ter sugerido e bem, que se levantasse uma hora mais cedo...
Ninguém defende uma ponte ( a do IC 9 era a que estava implícita, pois o Atalaia é dos que só defende essa ponte e mais nenhuma...) de 17 milhões antes das derrapagens, só para poupar nas curvas e chegar em menos de meia hora à porta da Câmara, que se não é funcionário da dita, é coisa que não faz todos os meses...
Foram argumentos destes que deram aos socialistas o poder de 31 anos em 35, para perpetuarem as asneiras grosseirasque se sabe, a começar pela ponte adiada...
Em que ficamos? - perguntou.
E eu respondo: Na mesma como a lesma! Porque enquanto houver um Atalaia a dar destes argumentos, um Santamargariada a manipular factos e um Lamacheira a aproveitar para ver se me atira da ponte abaixo, o concelho ficará com o reino Lusitano de há 2 000 anos atrás: não se governa nem se deixa governar.

MAIS: entre todos os comentários, só havia um que o Lamacheira e os demais comentadores pegaram desde logo com acinte: o do João Pico!
Porquê?!
Porque o João Pico é mesmo um tipo sem complexos de inferioridade ou de superioridade, que pensa com a sua cabeça, fala com isenção e propõe coisas com equidade e decide fazer e escrever coisas muito antes dos outros para aí estarem virados ou sonharem.
Perante os meus comentários, os inteligentes aceitam-nos e reconhecem a pertinência dos mesmos e a graça e o humor neles contido.
Os medíocres, os invejosos, os que pensam pela cabeça dos outros mais os orgulhosos e untuosos, que falam para agradar aos amigos do clube ou ao chefe e por acinte e mesquinhez pessoal, esses não descansam nem sabem apreciar as verdades com a elevação que deviam.
UMA TRISTEZA!
E quaischicos espertos, até vêm logo com submarinos. Eu estou nas tintas para isso. Quando se provar alguma coisa sobre submarinos, não serei eu que irei newgar as provas. ENTENDIDO?!
Se há alguém que nunca se VERGOU aos chefes fui EU! EU! ESTÁ ENTENDIDO?????
Tenho 40 ANOS de desempenhos na vioda local e ninguém tem nada p+ara me apontar. E em OBRAS bem à vista de todos na terra. Outros que nada fizeram, é que têm denegrido o que fiz, por mesquinhez deles. É a vida...

Atalaia disse...

OS INFINITAMENTE PEQUENOS TEEM UM ORGULHO INFINITAMENTE GRANDE.Obrigado Pedro Oliveira...Obrigado Lamacheira e Barca...Não basta saber lêr:Também é necessário compreender o que se leu...

João Baptista Pico disse...

Agradeço a Voltaire ter sido tão sábio. E ter escrito o "Cândido".
Candidamente, o Pedro Oliveira veio atacar-me com os "submarinos do Portas" que deve é uma forma de "honestidade intelectual e mental" confrangedoura.
Infelizmente, para ele, o Atalaia até acreditou na bondade do Pedro Oliveira para com ele, julgando ter visto no Santamargarida um seu defensor. Erro crasso!
Outro erro foi ter admitido que o Lamacheira veio apoiá-lo.
Nem pouco mais ou menos. O Lamacheira veio-me atacar. Aproveitou o espaço cedido pelo Atalaia e nem disse uma palavra de solidariedade ou um bom dia para o Atalaia.
Mas o Atalaia mais uma vez agradeceu. É pessoa que procura obter as boas graças de todos, mesmo de quem se serve do seu post para me atacar sem argumentos sólidos.
MAIS: todos acabaram por omitir grosseiramente a PONTE, logo o agradecimento do Atalaia não faz sentido.
Todos trouxeram a lume os SUBMARINOS do PORTAS, pensando que eu sou um faccioso como eles se imaginam a eles próprios. No dia em que se provar algo de concreto com o negócio que se iniciou no Estado Maior da Marinha, nas Forças Armadas, e no Governo de Guterres, mesmo que apanhe Portas, não serei eu que vou ficar calado.
Isso já toda a gente sabe. Sou como Aristóteles: "amicus Plato sed magis amica veritas"( sou muito amigo de Platão, mas sou mais amigo da verdade!).
Depois aqueles 3 km do centro do Tramagal via (hipotética) Ponte do IC 9 até à porta da Câmara pecam por defeito. Só três km gastava o Atalaia desde o centro do tramagal até a meio da ponte, já que esta ficava a 2 km do Cruzeiro, contando com as voltas no nó do IC 9 respectivo. Meio km de ponte mais da Abrançalha à Raimundo Soares e lá iam mais 4 km. Ao todo 6,5 km. Não consta que não pudesse apanhar um trânsito apertado na subida do Vale Roubam e demorar a entrar na Rua do Montepio ou na Defensores de Chaves e rotunda de Santo António. Imagine que os 5 mil veículos da ponte vinham nesse dia todos para a cidade!
Aquele exemplo do Atalaia foi um erro, um lapso. Só ficava bem ao Atalaia reconhecer isso. Fazia um grande e generoso favor aos outros dois, que era poupar-lhes a idiotice dos argumentos que trouxeram depois a despropósito...
.
A minha observação foi pertinente e num espírito de Carnaval até merecia outro respeito. E outra saída cómica. Uma brincadeira sem ofensa. Uma oportunidade para o Atalaia dar a volta por cima. Até podia alegar que estava a pensar em mim, quando fosse do Tramagal para a Câmara. Mas não foi isso o que o Atalaia foi aproveitar.

Por mais voltas que queira dar,o respeito pela opinião dos outros não é citar Voltaire ( numa de intelectual)quando esse filósofo era um crítico bem mordaz e depois bancar o anjinho saloio e aplaudir de contentamento diante da sobranceria do Lamacheira e do Santamargarida, que se estiveram nas tintas para o Atalaia, e só cuidaram de espreitar o "furo" e armar a tocaia contra mim, sem êxito...

Pra Memória Futura, isto passou-se no ano e na graça de 2010, séc. XXI!
Os autarcas argumentam mal. Mas os eleitores nada melhoraram...

Atalaia disse...

ESTAMOS BRINCANDO AO CARNAVAL OU ESTAMOS A CONSTRUIR IDEIAS EM DEFESA DA CONSTRUÇÃO DE UMA PONTE QUE NOS QUEREM NEGAR?????????

João Baptista Pico disse...

NEGADA já ela está há muitos e muitos anos.
Oh, só agora é que despertou para a Ponte?
Comigo essa não pega. Enganou-se no nº da porta, caro Atalaia!
Eu falei mais na ponte de há muitos anos a esta parte, para que haja algum tramagalense capaz de opôr a isso outro exemplo maior de luta e combate por essa ponte que nunca seria para mim a ponte do IC 9, que só trarai miséria ao Tramagal. Seria sempre para os últimos tramagalenses fugirem da terra...
Nunca olhou para uns maciços em betão ( seis no total) ali a meio das tais 37 curvas do Tramagal ao Rossio?
Os seis maciços de betão podiam ter dado para sapatas de seis pilares e levar um tabuleiro por cima. Só que não vi ninguém escrever isso.
Mas insisto, leve lá estes argumentos àquela casa que mostrou na foto e saia uma hora mais cedo para se precaver com os engarrafamentos, tá?!

Bortial disse...

Eu sempre disse que é preciso estar de atalaia com o Atalaia e com o Pico.
Os dois juntos, eram bem presos bem no cimo da estátua do aquapolis. E com este frio só os deixaria sair depois de rezarem mil pontes, mil e quinhentos nelson de carvalho e dois lacões!!!
Avé para os dois...
Ah, já me esquecia. O Lamacheira também pode ser pendurado mas a meia haste!
Viva o Tramagal!
Viva Rio de Moinhos!
Viva a ponte no IC9 e a ponte entre as duas barcas Tramagal e rio de Moinhos!

Bortial disse...

Ah. Também me estava a esquecer. Aquele lá do outro lado da ribeira, deixe-se de bicar cá para este lado. Não tem nada a ver com issso!
Não lhe chega já ter duas pontes?!E logo sobre rios diferentes!
Ó meu, tens aí tantas coisas com que te preocupares, e tens logo de embicar para aqui...

Atalaia disse...

Just make use thought to allow their injustice,and employ only the words to disguise his thoughts.
«REPITO»
Só se servem do pensamento para autorizar as suas injustiças, e só empregam as palavras para disfarçar os pensamentos...

OLHA ESTE...o que é que ele quererá ?... Queres a ponte ou não queres a ponte?...Ou queres descascar em tudo o que mexe?...Por isso é que nas autárquicas leváste p´ra tabaco!...Por causa de seres tão leviano e pretencioso.

pedro oliveira disse...

Caro Atalaia, obrigado pelas amáveis palavras, sabe há pessoas que falam do Tramagal mas não se lembram da fonte, nem do coreto no praça... muito menos sabem quem foi o Dr. João José Alves Ribeiro -1887-1963; muita retórica pouca memória.

Caro Pico, da minha varanda (em Santa Margarida) vejo a terra onde nasci com a sua bela torre de comunicações.
Gosto de opinar.
Fui o primeiro a defender no meu «blog» em 2005 ou 2006 uma solução pontística que passasse por ligar as zonas industriais do Tramagal e de Montalvo, solução essa que na altura não era defendida por ninguém.
Pare de me mandar para o lado de lá da ribeira como se a inteligência se afundasse quando submergida em água.
Por falar em submergir (recordei-me dos submarinos) dois submarinos que custarão 1.000 milhões de euros (500 cada) ora 1000:17=58.82... os seus submarinos dariam para construir quase 59 pontes.
Quanto ao custo do iate D. Amélia (na verdade foram três) deixo-lhe um «link» que o ajudará a perceber que nem tudo o que navega custa quinhentos milhões de euros
http://www.cm-cascais.pt/museumar/

João Baptista Pico disse...

Pedro Oliveira, que fique bem claro: não o mandei para o lado de lá da ribeira.ENTENDEU?!
Não tem razão para afirmar isso, pois sempre lhe respondi com boa educação, pese os insultos que já fez eco e em calúnia vindas da sua parte. Não insista nisso mais.
A ponte que eu falei foi a primeira vez em termos públicos e autárquicos, em 2003 com a ponte em mini-hídrica e em ponte-açude puxado para o Miradouro.Publiquei depois em manchete em Fevereiro de 2004 no Correio Lisboa Zêzere, um jornal que eu dirigi e fundei e que eu saiba ninguém mais ousou publicar qualquer outro jornal e estou agora com o blog, coisa que mais ninguém fez, o que também diz muito. Isto só para aclarar as ideias de alguns que gostam de chamar um estranho na minha terra.
Realmente na minha terra (freguesia) sou estranho para alguns novatos que nunca se debruçaram sobre a vida da terra.
Voltei ao tema da ponte em 2005 como candidato à Cãmara e insiosti mais em 2009, na última candidatura da minha vida ocorrida em 2009. Sou agora um cidadão LIVRE de opções autárquicas. que será a em minha vida. Mas não deixarei de ser um observador atento.
Aliás, o meu conhecimento profundo da vida e das vicissitudes do concelho fazem de mim um dos mais avisados e conhecedores no terreno.
Ando em autárquicas desde 1976. Recusei nesse ano ser autarca pelo PSD, por razões que considerei importantes na altura. Voltei em 79 e 82. Não é qualquer um que pode gabar-se desse traquejo.
Não vale a pena vir com o caso dos resultados eleitorais, pois isso não diz nada. Os eleitores só votam de uma maneira, que é sempre no mesmo. Isso não é saudável em democracia. Nega a democracia.
Quanto aos submarinos, isso é conversa que não me atinge. E nem é o Pedro Oliveira quem melhor sabe falar disso.
Quanto ao iate D. Amélia ou se foram 3 iates com o mesmo nome, que interesse tem esse pormenor?!
A má língua republicana falava muito nisso. E eu nem sou particular adepto dos republicanos.
Respeito a nossa História e constacto que nela se passaram 700 anos em Monarquia. E nos 100 anos de República 50 foram em ditadura, 15 anos em anarquia e 35 anos em caos, manipulações e trafulhices!

Atalaia disse...

OLHA ESTE!...
Dirige-se ás pessoas duma maneira arrogante,caracteriza os outros de deficientes mentais,piolhosos,parvos,blá,blá. blá, etc etc,e agora vem armado em cordeirinho lindo, dizer que não.Isto faz-me lembrar quando existia um jogo de futebol aqui há umas décadas entre crianças,o dono da bola,quando durante o jogo não lha passávam, o indivíduo para mostrar que a bola éra dele e que tinha poderes sobre ela, resolvia acabar com o jogo.Mas tramáva-se porque tinha mostrado que o seu instinto éra maldoso;Então como o futebol por arrogãncia dele tinha acabado, os outros resolviam jogar aos cinco cantinhos,jogo este que consistia em ocupar os cinco pilares do tão recordado «CORÊTO» e ficáva um sem lugar, o que o obrigava a procurar um lugar quando os outros se mudavam consecutivamente:Conclusão o indivíduo do meio seria sempre o dono da bola uma vez que também queria jogar e conviver com os outros mas não se recordáva do que tinha causado anteriormente,e quando se sentia cansado resolvia então ir embora com a sua BOLA debaixo do braço...Isto éra a educação que aqui nesta terra TRAMAGAL se encutia no espírito das crianças da altura, e da qual bebemos com muita satisfação,mas nunca utilizámos a ofensa como arma de arremesso.Aqui não há lugar para (RAMBOS)que disparam em todas as direcções aqui existem pessoas respeitadoras e educadas...Aqui existem pessoas humildes que sabem muito bem até onde podem chegar, atendendo e respeitando sempre a forma semelhante do seu interlocutor.

João Baptista Pico disse...

O Atalaia, que não usa nome próprio, mas fala de cátedra, afinal o que é que pretende?
A PONTE FEITA no Tramagal não é com toda a certeza...
Porque se fosse a ponte, nunca se atirava ao único não tramagalense que passa por ser o abrantino mais apologista de uma ponte bem arreigada no coração e no pulsar da ila do Tramagal.
Só que esse abrantino é de outra freguesia. Isso só se aceitava se fosse alguém conorado com o PS, nãpo é verdade?
Estou a cometer alguma inconfidência?
Estes 17 comentários deram para perceber tudo.
Daí a razão, que quando comecei a ver a avestruz com a cabeça enterrada na areia,( a foto do post), comentei logo que assim já gosto mais...!!!
E tinha razão para o dizer, na medida em que já esperava tudo, menos ver uma iniciativa em prole da ponte. Só desabafos, só agradecimentos a quem nada dizia a favor da ponte, mas que se suspeitavam que fossem de esquerda. Que bondade!
Este post e outros atrás valem por uma sebenta de sociologia política.
E provam até à saciedade, como a manipulação nunca desarma do cinismo que a sustenta ignobilmente.
Reparem como eu provei, o que não deixa de ser visto por todos. E isso é que é importante. Mais importante do que o sectarismo de Atalaias e quejandos.
Eu provei e comprovei, que há um comentador do post que vindo à internet - por natureza abrangente e pluralista e não sectária, ou nazi/fascista - e que pese ter denodadamente pugnado pela ponte no Tramagal, não consegue obter um pequeno gesto de "aceitação", sem logo lhe choverem em cima com coisas que não promovem a realização da ponte. Pode ser uma coisa com este cinismo todo?!
.
O país está à beira de uma grande convulsão social, senão mesmo de uma guerra civil.
Com mais de 500 mil desempregados inscritos, fora os outros, e aqui no nosso concelho, com várias freguesias a verem desaparecerem todos os dias os seus filhos e residentes o futuro mostra-se negro.
Entretanto, vimos a anunciarem obras com 1.800 novos postos de trabalho e o patrão a dizer que foi a Espanha à Qimonda e à Delphi da Ponte Sôr buscar as primeiras centenas de empregados. Era como se o Comendador Duarte Ferreira regressasse agora e dissesse o mesmo: que foi buscar a Espanaha, à Qimonda de vila do Conde e à Ponte de Sôr centenas de empregados e os tramagalenses e riodemoinhenses e sãomiguelenses ficassem a chuxar no dedo...
É este, tem sido este o desenvolvimento feito no país e principalmente neste nosso concelho: é sempre para empregos que não se encaixam nos perfis profissionais dos naturais do concelho.
E a grande "MENTIURA" socialista consiste nisso mesmo: em fazer passar a ideia que estão a ser criados muitos empregos. Só que não casam com a mão de obra dos residentes!
E quando havai uma obra que podia servir as pessoas de cá,não se faz.
Mesmo com tudo o que de errado trazai a Ponte do IC 9. E negada a ponte do IC 9, não avançou logo o "PLANO B": a ponte Barca do Tramagal a Rio de Moinhos!
Agora até convinha que ninguém mais falasse nisso. E aquele que há anos vem pugnando por isso, como o fez em nome do CDS, toca a silenciá-lo , a desacreditá-lo: "UM ARROGANTE DAQUELES a QUERER DAR CABO DAS SANTAS PESSOAS CÁ DO TRAMAGAL", vejam bem a desfaçatez!
A dizer que a "BOLA é dele"! Que giro!
Uma ternura de raciocínio! Com esta mentalidade, nem daqui a CEM ANOS vai haver PONTE!
Os próximos 2 ou 3 anos irão forçar a novas mentalidades... É a fome que mete a lebre a caminho...
O FMI ou o Constâncio no BCE não deixarão de nos dar a receita igualzinha à Grécia, pois então...
A "morte lenta" todos sabem que está nas nossas terras, nas terras que fazem este Portugal...

João Baptista Pico disse...

Post Scriptum:
Faltou esclarecer o óbvio!
Não poderá haver ponte no Tramagal, enquanto acima da Vila do Tramagal se colocarem os gostos, passíveis de birras, de quem acima da terra está a ver a cor da bandeira do seu clube partidário!
Ao longo destes 19 comentários foi isso que esteve em causa e nunca a ponte do Tramagal. Até houve quem aqui chegasse e dissesse, "antes de mergulhar nos submarinos do Portas", que foi ele quem há mais tempo em 2005 ou 2006 falou na ponte de Tramagal para Montalvo...
E resolveu logo o "seu" problema...!
Não há problema com a ponte. O que há é problema com os 4.000 tramagalenses, os 37 abrantinos e os 10 milhões de portugueses. E de entre os 4 mil tramagalenses há problemas vários: PS, BE,CDU,PSD,CDS,independentes e mais 2000 eleitores que ficam de fora, cada um com a sua ponte e o seu problema...
Fora o problema daqueles que não querem mesmo por nada deste mundo ouvir a opinião dos outros e até são capazes de omitirem esse nome na resposta, em sinal e em nome de uma ARROGÂNCIA de que acusam os outros. É OBRA!

Atalaia disse...

O que eu queria éra defacto a ponte...Mas também gostaria de saber, qual o seu objectivo, e o porquê de tanta arrogãncia insultuosa,sobre as pessoas do Tramagal!... Gostaria por exemplo, que nos disse-se, se alguém aqui no Tramagal lhe negou alguma promessa que lhe tivesse feito
-2 Se foi diga quem,e o que lhe prometeu.
-3 Se foi resultados eleitorais,diga mas diga também porque não os obteve na Freguesia que tanto o conhece (SOUTO).
-4 Se as expectativas foram goradas, não teria sido culpa sua, ou do seu próprio partido?... Pela parte que nos toca nada temos com isso ou a acrescentar, votou-se, houve resultados,e daí surgiram os regentes!...Temos o que se escolheu.
Quanto a si comentador das 13:22, recordo-me do senhor dizer numa entrevista que estáva acompanhado na sua lista duma das figuras que mais crédito e respeito granjeia na sua terra (Tramagal)!...Por isso das «duas uma» ou a pessoa em causa,não é aquilo que o senhor afirmou, ou então NÂO SOUBE EXPLORAR POLÍTICAMENTE A FIGURA DESSA PESSOA!...Suplico-lhe não entre mais em loucuras e deixe-nos em paz por favor...Se quiser construa, porque ninguém percebe nada do que diz...Ainda não notámos nada de favorável no seu discurso senão o seu (EU - ÍSMO) com todo o explendor publicitário.

João Baptista Pico disse...

Mas afinal o comentador das 12:22 QUER a PONTE ou QUER CALHANDRICE, usando esse termo tão proficuamente divulgado na cena política nacional por esse ex-tramagalense por afinidade...
Ocorre-me perguntar, se essa sua apetência pela Calhandrice, não o denunciou como sendo esse mesmo político e ex-tramagalense...
Perguntar não ofende, não é verdade?!
.
No Souto como no Tramagal a cidadania ficou refém da captura do poder instalado durante mais de três décadas. Mesmo o interregno de 89/93 no poder local, mais aguçou o engenho e a arte da hipocrisia política para um regresso avalassador dessa força política cujos relatos na vida local, são factos que em Abrantes até já aconteceram antes.
.
Em 2009, enquanto a elite socialista nacional capturava os media, em Abrantes, um jornal que me foi "prometido vender" acabou nas mãos do marido da responsável do poder político dominante no concelho.
Claro que eu mantinha lá uma coluna muito lida. Chegavam-me reflexos desse "ABC " era esse o título da coluna seguido do tema em relato. Com as devidas proporções, aquilo foi o "Jornal da Sexta da TVI" ou a coluna do "JN e do Crespo" num jornal de Abrantes.
No "Nova Aliança" em Setembro de 2002, mal saí de vereador pela 1ª vez, logo os vereadores do PS, Júlio Bento e Pina da Costa escreveram duas cartas em edições consecutivas a exigirem que a Directora me retirasse aquela meia página onde escrevia desde Maio de 2001 até 2006, tendo aí sido censurado um artigo porque combatia as ZIF`s mais uma vez, porque eram uma tentativa de esbulho dos pinhais dos pequenos proprietáriuos no Norte do concelho e o mentor principal até se vangloriava dos incêndios de 2005, assegurando com escárnio " que até foi bom na perspectiva da implantação das ZIF`s que tivessem ardido os pinhais todos!!!
.
Eu convidei uma pessoa amiga para ser candidato à junta. Quase certo no lugar, viria depois a declinar o convite. Foi por eu ser má pessoa?
Não foi decerto por isso, posso jurar.
Seria porque o filho era funcionário da Câmara?
E já agora, porque razão esse mesmo filho do meu convidado, poucos meses mais tarde comentou aqui neste blog, a propósito da Festa do Souto, onde era pessoa da organização e muito interveniente na Festa do Souto de que eu era mal educado e logo choveram uns ataques sobre um rádio gravador que eu nunca teria entregue na Sociedade Recreativa.
.
A direcção ilibou-me, mas o mau nome ficou agarrado a essa história deturpada canalhamente. Assaltaram-me o meu carro, quando eu trazia esse gravador da reparação na Phillips em Carnaxide e acabei por repôr outro do meu bolso.
BOA PAGA LEVEI!
.
Não tenho nada a apontar a ninguém da minha lista. Grandes amizades que conquistei no Tramagal. Talvez mesmo, algumas, das melhores e mais sólidas de toda a minha vida.
Quanto "às loucuras" guarde as recomendações para si e pelo que lhe respondi, em total oposição ao que esplanou, BEM PRECISAS E ÚTEIS LHE São, PARA SI.
Para si tudo do melhor... E no dobro do que me deseja!

Atalaia disse...

Quanto ao relacionamentos com pessoas do Tramagal,creia que para mim não é novidade,porque nesta terra sempre mas sempre,foi apanágio,desculpe o termo; a criação de a amizade e sólida com pessoas vindas de outras comunidades. O que eu pessoalmente estranho, é que o meu amigo se me permite tratá-lo como tal; esteja destruindo toda essa amizade com palavras tão hóstis atribuídas aos Tramagalenses.O que lhe quiz alertar foi precisamente essa questão...E para que fique bem por dentro das exigências e preconceitos das populações, um dos factores principais a ter em
consideração, é a boa educação e estímulo, e não apelidá-los disto ou daquilo como o meu amigo tem
feito até aqui.Não veja nos Tramagalenses MOINHOS...Não tenha receio dos MOINHOS Tramagalenses!...Não entre em guerra com os Tramagalenses não hiperbolize situações que não houve, estime as pessoas e ponha-se de bem com os Tramagalenses e consigo próprio.Retribuo,e que tudo para si,seja como desejar.Para si:- A vida tem duas fases «O PRINCIPIO E O FIM» viva o interválo com tudo de bom. Mas deixe que os outros também vivam.

João Baptista Pico disse...

Os moínhos são todos seus e da sua exclusiva criatividade.
Continua a confundir tramagalenses com meia dúzia de opinadores tendenciosos não identificados, meio encapuçados com iniciais maiúsculas, como venho assinalando.
.
Estou certo que nunca insultei ninguém e muito menos os tramagalenses. Isso está muito claro. E quando lhe respondi a si ou a outro opinador não identificado e assumido com nome de Gente Crescida com alguma ironia e muita crítica incisiva, só mostra quanto os ataques que continuo a sofrer constantemente nos comentários não são respeitadores, newm tolerantes quanto à diversidade das opiniões.
Constantemente é sublinhado o "político" "o poleiro", os "submarinos" quando eu nunca estive na Marinha e todas as tropelias do género.
.
Todavia eu estou sempre a dar provas de acuidade e interesse em questões municipais e tenho à minha conta mais intervenções públicas a favor do Tramagal, do que a maior parte dos tramagalenses e do que qualquer líder concelhio ou qualquer outro candidato à Câmara alguma vez fez.
.
Só por isso, mesmo para quem não se identifique ou acredite em política ou não goste do CDS deveria ser respeitado.
Tal nunca aconteceu. Ora isso não abona a favor da boa imagem do tramagal, sendo certo que não posso generalizar que essas opiniões sejam do tramagalenses em geral.
Daí que tenha até ilibado os tramagalenses deduzindo que os opinadores até poderão ser estranhos ao Tramagal e agentes infiltrados para capturarem a cidadania tramagalense.
.
Custa muito respeitar este meu alerta?
Está a confundir a minhas respostas a meia dúzia de comentadores dessas iniciais - que até podem ser só um ou dois, mas que lançam post originais directamente para o blog, logo conhecidos do administrador do blog, querendo nessa confusão premeditada arrastar o meu nome para ataques que nunca fiz.
.
MENTE e sabe que está a MENTIR. Os comentadores das iniciais não são os tramagalenses em geral. São um, dois ou meia dúzia. Nada mais.
.
Esses têm levado as respostas que merecem e sem insulto. nada de se fazerem virgens ofendidas. Essa técnica não colhe.
.
Insisto: eu trouxe a debate muitos problemas importantes e com interesse para o Tramagal - até no caso do terreno extra dos 6 ha para a Mitsubishi defendi o património tramagalense. Mais ninguém o fez.
Não recebo lições de qualquer um. Muito menos daqueles que só procuram insultar-me e diminuir-me.
.
Só que eu não me deixo "abater" por opiniões sem nexo...