26.1.10

Tanque receptor da água canalizada através do Muro do Casal-Leal.

3 comentários:

TZ disse...

Não podiamos estar mais sintonizados. Enquanto publicava esta mensagem estava eu preparando a que ficou abaixo. Parece-me que não ficam mal :)
Enviei um email há dias, reparou? É pena as suas imagens terem ficado numa dimensão mais pequena. Pode-se rectificar isso quando se estão a carregar para o blogue.
Um agradecimento especial pela História que nos está a contar sobre este caminho/muro. Aproveito para perguntar: a água ia servir ao lagar? era só para regas? serviria também para consumo humano? tinha origem nos poços ou em fonte/mina/nascente?
Há tempos que "não pergunto" por ela, mas ali "por cima" do cemitério havia uma nascente...
Cumprimentos

Atalaia disse...

Amigo TZ
Este tanque receptor tinha por objectivo as regas da das espécies hortícolas da quinta,o abastecimento ao lagar na época de laboração e consumo humano.Aos mais interessados peço que verifiquem o alinhamento deste muro com o referido tanque e as antigas instalações de lagar existentes na Rua Atrás da Igreja,e todo o espaço que o envolve;Habitações,Quintas, adegas, estábulos para animais, etc, etc. No que respeita à nascente,esta situáva-se a cerca de 200 metros a sul de Cemitério Velho e foi eliminada pele fébre da plantação do eucaliptal,mas penso que ainda existe registo de parte do muro até ao cemitério.

Tramagalense disse...

A nascente nao seria ali(cemitério), mas a cerca de um km deste local onde existe na verdade uma mina que se estende por mais de 50 m a cerca de 10 m abaixo do nivel do solo. O que existia perto do cemiterio era um receptor que ainda la está, ou seja não foi destruido pela plantação. O local onde existia a bica, numa rotura da canalização também existe. Curiosas são as fases de construção deste muro, onde perto do cemitério se podem distinguir 3 fases distintas, a primeira rente ao chão, uma segunda mais elevada e a terceira que inclui a respectiva canalização.