27.11.09


Sei que este espaço se prende com o Tramagal e comunidade abrangente mas não pude deixar de partilhar aqui um link de outro espaço que considero fascinante : http://theresonly1alice.blogspot.com/


Daqui retirei poema e imagem. Espero que este contributo abra horizontes para a literatura, para a partilha de experiências, pensamentos e emoções...ultimamente tão fugazes e precários... Numa altura em que muito se fala sobre o futuro do Tramagal, da nossa comunidade e das lembranças do passado que nos marcaram em termos históricos, aqui fica uma passagem que considero extremamente bonita!


"o futuro só é real sob a forma dos nossos medos e esperanças presentes, e o passado só é real meramente como recordação.O passado é sempre um conjunto de recordações, de recordações muito precárias, porque nunca são verdadeiras." - Enrique Vila-Matas

Para reflectir...

1 comentários:

Rosa Oliveira disse...

Procurando reflectir...

O que o escritor afirma é discutível.

O que é o real?, mais ainda, a verdade... o que é a verdade? Diz-se que as recordações são precárias, ora, o futuro é, também, sempre precário, exactamente, porque é um «por vir», um projecto que se antecipa (na medida do possível, porque não somos futurólogos, mas humanos) e podemos definir no presente que, por sua vez, tem raízes identitárias no passado.

Em verdade, parecem-me estanques as fragmentações do escritor e, para pensar o futuro duma terra, seja esta de que se fala por aqui, ou outra qualquer, é necessário, penso, uma visão holista que seja capaz de integrar passado, presente e futuro-possível. Não raras vezes os obstáculos, bem como os aspectos positivos (chamemos-lhe assim) à construção do futuro, radicam no presente, enquanto heranças de um passado. Daí... certo cuidado em não ter como verdadeiras as recordações do passado...
Por outro lado, talvez a precaridade seja mais a própria natureza daquilo que se deseja para o futuro, característica que não lhe retira rigor, mas exige a capacidade para gerir uma certa dose de incertezas...