24.7.09

Tramagal . Landscape Art Festival . 2010








































































































































13 comentários:

Cidadão abt disse...

8ª foto: moinhos da ribeira do Alcolobre a seguir ás Barrocas... para alcançar esse local caminha-se junto a uma levada... e o que vocês andaram para lá chegarem...se forem subindo o curso de água!

16ª foto; à esquerda do cesto estão as escadas infinitas talhadas no declive da encosta e construídas em meias luas de troncos de madeira que vão terminar no moinho do "Alemão".Mas o que é aquilo em cima da água? Òleos? A ribeira está poluida??? Ou aquilo será na lagoa da cerâmica junto ao Crucifixo?

TZ disse...

As imagens são da Páscoa de 2009. O "percurso fotográfico" é sequencial: da entrada do Crucifixo à Ponte da EN 118 da Ribeira da Coutada.

As manchas sobre a água são uma película de poeiras, principalmente "pó dos pinheiros".
Poluição industrial, do tipo óleos, julgo não serem problema ali.
À represa aflue a descarga de uma das ETAR do Crucifixo, que não funciona muito bem. Os Serviços Municipalizados de Abrantes e a Junta de Freguesia do Tramagal têm conhecimento.
Não aconselho o uso balnear, mas pode ser que um dia ... depois de uma sardinhada ribeirinha, nos possamos refrescar ali.

TZ disse...

As imagens são da Páscoa de 2009. O "percurso fotográfico" é sequencial: da entrada do Crucifixo à Ponte da EN 118 da Ribeira da Coutada.

As manchas sobre a água são uma película de poeiras, principalmente "pó dos pinheiros".
Poluição industrial, do tipo óleos, julgo não serem problema ali.
À represa aflue a descarga de uma das ETAR do Crucifixo, que não funciona muito bem. Os Serviços Municipalizados de Abrantes e a Junta de Freguesia do Tramagal têm conhecimento.
Não aconselho o uso balnear, mas pode ser que um dia ... depois de uma sardinhada ribeirinha, nos possamos refrescar ali.

TZ disse...

Já agora, fomos de bicicleta. A pé só para os melhores cidadãos ;)

pedro oliveira disse...

Do outro lado da EN 118 (fot. 16) está uma raposa jovem que terá sido atropelada e foi atirada para a berma da estrada.
Fotografei-a ao longo de alguns meses (cerca de três) para perceber como funcionava a decomposição dum mamífero de pequeno porte ao ar livre.
Hoje é como se nunca lá tivesse estado. A vegetação cresceu e muito, dificilmente, encontraríamos alguns vestígios da raposita (terão passado entre seis a oito meses).
Parabéns pelo passeio e pelo registo fotográfico.

Anónimo disse...

Que pena não ter sido captado um indigena, de entre os muitos cárinos de gema... foi pena!

pedro oliveira disse...

Anónimo,

Cárinos = Crucifixo, freguesia de Tramagal, concelho de Abrantes

Aquilo que estamos a falar fica na freguesia de Santa Margarida da Coutada, concelho de Constância.

Tem alguma coisa contra os cárinos?
Foi falar com o meu amigo Caracol e com os irmãos Pedras, se descobrirmos quem é leva uma carga de porrada que nem sabe...
Pelo menos assine

Anónimo disse...

fotográficamente, seu calhau!
Vê-se logo que é "punhete".
Assina: Anónimo
PS: - Quantos são, hum?

TZ disse...

Só as últimas duas fotos são tiradas no estrangeiro (SMC), tudo o mais é Tramagal.
É de facto pena a falta de pessoas nas minhas fotografias. Talvez seja um pudor excessivo, mas não peço poses e respeito o direito de imagem.
Há dias, uma pessoa que eu fotografei há mais de um ano, ao longe, ciclista pedalando na paisagem, estava sentado além na paragem e chamou-me: aah, eras tu, que há não sei quanto tempo me tiraste uma foto assim assim...
As gerações mais novas, fotografam-se e publicam-se com muito mais à vontade.

Cidadão abt disse...

Olá TZ!

Um sincero obrigado pelo desequívoco e pelo esclarecimento!

Quanto ao anónimo "todomundo" das 21:07 e 21:31, entretêm-se a disseminar o conflito e o ódio na Web... não é verdade?
Salta à vista!
É o melhorzito desempenho que consegue arrancar de si próprio? Há gente com vocação para coisas dignas e distintas ... sem dúvida! Quanto a este indígena, fique o "todomundo" sabendo que sempre tem sido muito bem recebido por todos os Carinos vai para vinte e três(23)anos,(sem a necessidade de ter que falar em surdina) e pelos outros povos também, como está acontecer precisamente neste momento, pelas 23h10, com uma stout geladinha á< frente e muito boa disposição! Logo à primeira investida, revela-se que o "todomundo" já não desfruta das mesmas faculdades... limitações!

Anónimo disse...

Ó abc atina!
Saltou-te Avastin prá vista?
Até do epitáfio esperava mais,ilimita-te e acredita que até levo quase o dobro de anos desse prazer, vê tu bem, abc.
PS: Prefiro Sagres.

Anónimo disse...

É preciso tudo isto só por terem aparecido umas fotos das "terras de índios"?.....ele há pessoal, que vem do tempo do Gil Vicente.Gosta mesmo é das cantigas de escárnio e mal dizer...Vá lá, apareça uma foto dum verdadeiro cárino.E com a motorizada, a condizer....

Luís disse...

E mais uma vez tenho de insurgir-me.
Porventura conhecerá o ilustre anónimo os locais fotografados?
Terá alguma coisa contra os indígenas? E, já agora, qual será a sua "indigenidade" (passe o termo)?
E porque não saí daí e diz algo de construtivo? Em prol da comunidade?
Porque, francamente, se tentou contar uma anedota faça como os que não têm jeito para contar anedotas: explique a dita.
Se calhar o TZ terá de explicar aos ilustres anónimos "ameaças", como se eles fossem muito burros, que fotografias não se comentam.
Apreciam-se. Quem não gosta não estraga.
Saudações tramagalenses e boa noite.
Luís Sirgado