28.7.09







Sede da Associação de Reformados de Tramagal (ARTRAM) assaltada e vandalizada

Manuel Pio, presidente da direcção da ARTRAM, não escondeu a revolta pelo assalto ocorrido no passado fim de semana.



Os meliantes, “supõe-se que dois, entraram por uma janela das traseiras e levaram um frigorífico e o seu recheio, um televisor, um relógio de parede que nem vidro tinha, seis bicos dos fogões industriais, três botijas de gás “quase cheias”, três redutores, garrafas de bebidas alcoólicas e caixas de sumos, uma caixa de guardanapos, condimentos para comida, loiça e material de limpeza..



Segundo disse o responsável, “houve muito vandalismo de permeio uma vez que cortaram os cabos das colunas de som, de uma mesa de mistura e de uma ventoinha de pé alto, e acabaram por deixar esses bens nas instalações”.
Para além disso, continuou, “ainda tentaram arrombar o gabinete da direcção, sem sucesso, e partiram quatro portas de madeira, puxadores e vidros das janelas, tendo até roubado o cadeado do portão por onde saíram com as coisas”.
Manuel Pio afirmou que este “incidente” é “de todo reprovável e de lamentar”, acrescentando que, no entanto, a associação vai fazer um levantamento dos prejuízos e continuar a trabalhar em prol dos idosos e reformados de Tramagal.

4 comentários:

Anónimo disse...

chamem a policia porque com esta gnr do Tramagal nunca mais sabemos de nada

Muad'Dib disse...

Depois da Cistus assaltada, agora a ARTRAM. Associações que vivem do voluntariado.

É o normal. A GNR está lá?

Mas levar um frigorífico com recheio é obra.

RL disse...

Uma noite de trabalho árduo... pelo que leio e vejo; já para não referir (apenas e só, suspeita!)a necessidade do adequado transporte,... incluindo ruído inerente ao acto e alguma objectividade no intuito... temos mistério ou deficiente policiamento, ambas ou nenhuma, sociológicamente divagando?

Hitman disse...

Por este andar qualquer dia é o posto da GNR,pois estes revelam grande aptidão para os petiscos possuindo palamenta diversa bem como infraestruturas á altura.È de questionar se os mesmos não estariam em confraternizasão descurando o famoso lema «pela lei pela grei».Assim falo porque nos tempos em que o cortel era no centro da vila os trauseuntes e fregueses do petroleiro amarelo foram muitas vezes brindados com o cheiro de muitas iguarias confecionadas no referido posto.Mais uma questão onde andava o bravo e famoso cabo Lourenço nesse dia?