2.7.09

14 comentários:

Anónimo disse...

A CMA prefere gastar milhões em obras de fachada.

Anónimo disse...

O presidente da junta por acso ter alguma acção prática na resolução deste caso? NADA. É só paleio! Dá trabalho pois dá. Se os três da junta fossem uma equipa, se trabalhassem, só querem é receber o dinheiro no final do mês, tuinham resolvido este caso onde pelos vistos há uma criança que nem leite bebe antes de ir para a escola. Aliás, no site das vidas cruzadas está escrito quem 2007 foi formada uma comissão de acção social onde está também a junta. Lamentável! Não é só sinalizar os casos como este. É preciso dar mais e a junta não tem dado NADA. Estes problemas deviam ser irradicados da nossa terra.
A câmara gasta milhões em porcarias e só não resolve porque não quer.
Um tramagalanse atento embora ausente mas sempre presente.

Cidadão abt disse...

Estas situações é que dão a volta ao estômago cá do Cidadão!
Depois de sabermos de situações assim, quantas e quantas escondidas nos recantos e confins das aldeias deste concelho e sem voz, quantas e quantas varridas para debaixo do tapete e para trás do armário ao passar da procissão dos senhores!
A pobreza escondida, e a pobreza envergonhada!
Caraças!
E gastam-se milhões em torres e mamarrachos para albergar as colecções daqueles que já muito têm!!!
Que hipocrisias!
Porque é que os nossos impostos não servirão antes, para exterminar estes dramas?
Uma injustiça gritante!

Anónimo disse...

Áh GRANDE CIDADÃO!!!...

Anónimo disse...

Anónimo das 23.59, se lêr outro post mais abaixo verá que os socialistas dizem que o programa da Junta se cumpre com a realização da Gala. Claro está que esta situaçao estava apenas "sinalizada" no programa.

O Cidadão tenha cuidado aí com essa das "torres" e "mamarrachos", não vá ferir as suceptilidades dos artistas, dos verdadeiros e dos outros.

Anónimo disse...

Pedir responsabilidades ao Estado, nunca é demais.Mas também me apetece dizer (tal como os chineses):"Não lhe dês a cana, ensina-o a pescar!!!!!".

Anónimo disse...

É, ensina-o a pescar sem cana. Ou então ensina-o a fazer uma omelete sem ovos.

Anónimo disse...

Os ovos até os há!!!!!!!
As capoeiras do vizinho teem-nos. Mas é para eles!!!!!!
A galinha nem sequer sabe como procurar o milho, quanto mais saber qual é a capoeira do vizinho que tem mais ovos......

Cidadão abt disse...

Olá anónimo do quinze a dividir por zeros certinhos, cá o Cidadão admira a sua perspicácia! Ou o anónimo está habituado a ler as crónicas desta alma, ou então chegou lá através da teoria dessa "grande porca" do Rafael Bordalo Pinheiro!

Depois temos um tal anónimo(a) do dezassete a dividir por quarenta e oito... pois é... alguns, apesar de já saberem pescar, equipados com boas frotas de traineiras e grandes redes, continuam a receber o peixinho fresco, traineiras e redes renovadas, enquanto que outros ainda continuam à aguardar que lhes "ensinem" os ofícios da pesca! Neste caso, a traineira é iluminada a petróleo, ou a vela porque nem luz tem para carregar o Magalhães! Nesta traineira os pescadores debatem-se com a invasão de cobras e outra bicheza! Nesta traineira, o telhado é de zinco, e como os técnicos o confirmaram "há muita gente à frente"!Mas nunca à frente dos grandes pescadores... já reparou? Agora analise tudo isto na primeira pessoa! A família limita-se a ser "sinalizada" pelos serviços da assistência social!A família vive nesta situação extrema desde 2007!
Quanto tempo ainda vai ser necessário para se concretizar o bairro Social em Rossio ao Sul do Tejo? E quanto tempo demorou a concretizar o açude e as Portas e Passagens? E quanto tempo será necessário para cocretizar o projecto do "cubo"?
A notícia deixa transparecer que será uma família conflituosa com a vizinhança... afinal, qual será a utilidade da formação em "Assistência Social"... para sinalizar casos problemáticos e fazer estatísticas?
Não servirá a formação na arte da Psicologia para moldar atitudes e comportamentos?
Este tipo de situações é transversal a qualquer causa política, é uma questão de dignidade humana!
Portanto, "não lhe dês a cana, mas ensina-o a pescar" é um princípio que parece andar um bocadito arredado desta situação!

Recordam-se alguns artigos da
CARTA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DA UNIÃO EUROPEIA(2000/C364/01)

"Artigo 1º
Dignidade do ser humano:
A dignidade do ser humano é inviolável. Deve ser respeitada e protegida.

Artigo 24º
Direitos das crianças:
1. As crianças têm direito à protecção e aos cuidados necessários ao seu
bem-estar.
Podem exprimir livremente a sua opinião, que será tomada em consideração nos assuntos que lhes digam respeito, em função da sua idade e maturidade.

artº 34º
3. A fim de lutar contra a exclusão social e a pobreza, a União reconhece e respeita o direito a uma assistência social e a uma ajuda à habitação destinadas a assegurar uma existência condigna a todos aqueles que não
disponham de recursos suficientes, de acordo com o direito comunitário e as legislações e práticas nacionais.

Artigo 41º
Direito a uma boa administração:

1. Todas as pessoas têm direito a que os seus assuntos sejam tratados pelas instituições e órgãos da União de forma imparcial, equitativa e num prazo razoável."

Agora, com esta mãe e duas filhas continuando a serem iluminadas pela ténue luz de uma candeia debaixo de uma barraca coberta por zinco quente, vamos lá então ás Galas!

Foi dito e citado!

Anónimo disse...

peixe...deixe-me corrigi-lo caro anónimo.
Infelizmente nem peixe nos dão e quanto a Ensino, o que se verifica, até reportado neste local, temos uns Magalhães e até vários tipos de CAP’s, dão direito a um diploma equivalente em diversos graus (é só escolher! A frequência garante-o! Caracterizado de uma forma simplista.), mas aprendizagens de saber, bom!
Julgo unânime e conhecer o bem saber no fazer. Sim! Mas não o “equivaler”.

Chamar o nome às coisas! (À Ribatejano: - Pegar o toiro pelos c…..), aproveitando a onda governamental .

Criar bons profissionais, específicos, peritos no que melhor sabem fazer e lhes dá prazer fazer…

(já fui mal entendido outrora, tento não ser polémico, mas pragmático. Faz o favor de ler até ao fim o texto, no contexto, imploro!)

Mas,...
Como em tantas outras realidades deste País, (observem o exame de Matemática do 9º ano/2009), nisso mandam os dados estatísticos (como me dizia em privado um professor de Estatística: -...em suma, esta é a tortura dos números até espelharem o que o carrasco pretende...).

E se os nossos governantes fazem disso bandeira!

Deixámos de ter analfabetos, somos uns Pais de diplomados. Estatisticamente falando, o INE prova-o.

A realidade porém é outra.
Culturalmente no saber, continuamos disfarçadamente com indicies “envergonhantes”, em iletrados, ignorantes, mas com um canudo.

(Não comento, como exemplo, o extraordinário "tratado de Bolonha" por entender não ser o espaço próprio).

Conheço casais de Tramagalenses, adoráveis Tramagalenses de gema, casados, solteiros/viúvos, sós, (sabeis do que falo?), que sobrevivem nesta terra com pensões de miséria/subsídios/vizinhança.

Conheço, porém, inexcedíveis serviços nos mais variados âmbitos, num universo basicamente constituído por valorosos anónimos, muitas das vezes. Pessoas, grupos, associações, instituições, (A Vila Convívio é assim!). Quantas vezes unindo a carolice ao amor ao próximo.

Revejo-me há 50 anos no Tramagal e …, sejamos positivistas.

Acredito, quero acreditar.

Observo hoje idênticos jovens (sem idade, entenda-se!), excelentes, promissores e empenhados, vejo uma SOCIEDADE única e tão minha, com defeitos e virtudes, próxima mesmo na distancia e quando imbuída na força do querer.

PS: Curiosamente não prescinde do cumprimento cordial quando se cruzam dois Tramagalenses transeuntes, mesmo suspeitos mas de trato fácil, cordialmente, com simpática, …seja anónimo, conhecido, filho de, pai de, ou irmão da, não será …….

E olhando-nos neste espelho, por favor, que não haja a mais pequena veleidade de sussurrar:
- Perante o abismo que se nos depara, um passo em frente!
RL

hitman disse...

o caso è no minimo complicado,pena tenho das crianças, pois quando vieram ao mundo apenas traziam boca para comer e olhos para desejar.Pelo que li a mae nunca se dirigiu a junta ao menos para carregar o «magalhaes»!!!!! recusou emprego por ser longe,reside no terreno de familia,não quer sair do tramagal.Infelizmente todos nós temos que fazer sacrificios pois os tempos que correm não dão para exigencias, e como acima foi escrito há que ensinar a pescar e a viver com aquilo que a pesca nos dá,e por vezes os pesqueiros são longuinquos,quantos tramagalenses não tiveram que abandonar esta vila na procura de um futuro melhor,deixando páis,avós,amigos,vizinhos etc.Pergunto ainda onde andam os conhecidos que esta senhora tem no Tramagal,a familia,etc; E já agora quantos sem abrigo são proprietarios de um terreno na terra que os viu nascer.

Anónimo disse...

É mesmo para o abismo que este país caminha.
Pacheco Pereira, escreveu no Público há umas semanas, que "por volta de 2014, deixamos de ter dinheiro para pagar a divida do estado". Em Abrantes vemos a CM, a gastar os recursos do Municipio em açudes e "cubos" de um custo exorbitante e deixar para trás os problemas de exclusão social, tão ou mais gritantes do que este. Os problemas estão apenas a começar e quando se tornar absolutamente necessária a intervençao do Municipio, para resover os problemas graves que se esperam, a CMA vai dizer que não tem dinheiro, tal como já o fez aos pensionistas pobres de Vale das Mós, quando recusou comparticipar a aluguer de uma carrinha para trazer os idosos ao Centro Médico. Esta é a triste realidade que se vive no conçelho de Abrantes e só não vê quem não quer ou quem não mora cá.
A nova candidata, que já fala na Radio como se fosse Presidenta, se ganhar estas eleiçoes terá uma enorme tarefa à sua frente, caminhando bem proximo do "abismo", onde para cair, basta apenas mais um passo em falso e esse passo é o "cubo".
Se fosse a ela, optaria por um optimismo mais moderado e sem a "cagança" do aconteçe, porque as contas podem sair furadas e se isso se verificar, é ela que vai responder perante as dificuldades e não o Mestre em Filosofia Demagogica a que sucedeu. Portanto cara Maria do Céu, tenha calma e seja modesta no seu optimismo, que o pior ainda está para vir. Na entrevista que concedeu à imprensa local, na apresentação da sua candidatura, falou de "lacunas que existem e que é preciso resolver", pena foi que nenhum dos jornalistas lhe tivesse perguntado que lacunas são essas e se são o resultado do esgotamento do programa politico do Mestre.

O meu voto vai para Albano Santos, que me parece ter uma visão mais correcta da realidade, embora reconheça que também tem culpa no cartório, no entanto parece reconheçer os verdadeiros problemas do conçelho.

Quanto à JFT, "sinalizar" não chega é preciso actuar e nestes dois mandatos houve muita "sinalização" e pouca actuação, a começar pelo lixo espalhado no Mirante e a acabar no bloqueamento dos marcos de àgua publicos, onde alguma gente pobre, como esta mãe e filha, se abasteciam da tão necessària àgua.

MUDANÇA PRECISA-SE AGORA.

Anónimo disse...

À grande Pinho!

Anónimo disse...

À "GRANDA" MANEL PINHO